Finanças pessoais e saúde: entenda as consequências dessa relação

A crise que o país vem enfrentando acabou fazendo com que muitas pessoas ficassem endividadas. Contudo, esse tipo de situação também pode ocorrer em virtude de uma gestão inadequada das Finanças pessoais. Porém, esses problemas trazem implicações que vão muito além das finanças pessoais: eles também afetam a saúde.

Neste artigo, vamos falar sobre a relação entre essas duas questões e como elas podem afetar a rotina de uma pessoa. Continue acompanhando e saiba mais!


 

Afinal, qual é a relação entre as finanças pessoais e a saúde?

De uma maneira bem ampla, é possível ver como as finanças afetam a rotina simplesmente comparando nosso estado mental quando estamos em uma situação confortável com a mudança que ocorre quando começam a surgir problemas financeiros. Dito isso, é possível afirmar que, basicamente, problemas financeiros podem acarretar em:

Ansiedade

O fato de saber que as finanças pessoais não estão apresentando o resultado desejado acaba gerando um foco de ansiedade, fazendo com que a tensão seja um problema constante, bem como a irritabilidade e a dificuldade de pensar com maior clareza e tomar decisões mais racionais.

Esse é um dos principais motivos que faz com que algumas pessoas adquiram empréstimos e acabem tão, ou mais, endividadas do que inicialmente — trocando um problema por outro, apenas.

Estresse

A pressão de ter que honrar com os compromissos já firmados e as dificuldades financeiras geram muito estresse, que pode causar irritabilidade; dores de estômago, de cabeça e nas costas; dificuldade para se alimentar adequadamente; fadiga; entre outros sintomas típicos do estresse.

Insônia

Também é muito comum que algumas pessoas tenham dificuldades para dormir, quando estão passando por um período difícil no controle das finanças pessoas. Ela pode ser causada tanto em decorrência da ansiedade, quanto ser um sintoma do estresse.

 

Como esses problemas podem ser evitados?

Qualquer pessoa pode passar por problemas financeiros e ter dificuldades de administrar suas finanças. Porém, isso pode ser evitado, da mesma forma que é possível, também, impedir impactos a saúde. Veja, a seguir, alguns dos cuidados que podem ser tomados:

Disciplina

O ponto principal para garantir que as finanças pessoais estejam em dia é ter disciplina. Ela é importante tanto na hora dos gastos, quanto na hora de fazer o controle do orçamento. Portanto, além de acompanhar e fazer um registro rigoroso do consumo é importante adotar hábitos de compra mais saudáveis, sempre acompanhado de um bom planejamento financeiro.

Controle do orçamento

O controle do orçamento é feito por meio do registro de todos os gastos que são realizados ao longo do mês. Isso pode ser feito por meio de planilhas, ou aplicativos, por exemplo, e ajuda a acompanhar a evolução do consumo mensal. Por meio desse hábito é possível planejar melhor as compras, evitar endividamentos e criar metas de economia.

Consciência do problema

Outro aspecto importante é ter consciência de que existe um problema com as finanças pessoais e que ele precisa ser resolvido. Seja por excesso de consumo, ou pelo endividamento, é necessário saber que algumas ações precisam ser adotadas para mudar a atual situação.

Negociação das dívidas

Se for o caso de já envolver dívidas pendentes, é preciso quitá-las e se livrar do foco de problemas. O ideal é tentar negociar as dívidas maiores primeiro, ou as que possuem maior taxa de juros e depois ir eliminando. Caso seja possível, negociar todas de uma vez é melhor ainda!

Como podemos ver, as finanças pessoais exercem influência direta na saúde — não apenas no aspecto financeiro. Porém, é possível contornar essa situação e sanar todos esses problemas de uma só vez.

Gostou deste conteúdo sobre finanças pessoais? Então aproveite para nos seguir nas redes sociais e ficar por dentro de outras novidades!