Acerte as contas! Descubra como fazer uma boa negociação de dívida!

Estar em débito é sempre uma situação desagradável, ainda mais quando a dívida em questão já chegou a um patamar no qual o devedor não tem mais controle e está a caminho de ficar com o nome sujo.

Nessas situações, a negociação de dívida é uma das melhores opções, pois concede muitas vantagens — inclusive juros menores e valores mais acessíveis. Contudo, é sempre bom lembrar que, em alguns casos, os credores podem não ser tão abertos a negociações. Dessa forma, é preciso ter conhecimento de algumas técnicas.

Neste artigo listamos algumas dicas de como fazer uma boa negociação. Confira!

Fuja das pressões psicológicas

No momento da negociação, muitas vezes os credores querem que o devedor aceite rapidamente aquilo que é proposto. Inclusive, é possível que algumas empresas de cobrança sejam verdadeiros carrascos, fazendo pressões e ameaçando tomar os bens do endividado.

Por isso, é importante saber os seus direitos e não se deixar intimidar. Primeiramente, entenda que, em boa parte dos casos, estar em situação de inadimplência não vai levar você à prisão. Em segundo lugar, a tomada de bens só é viável para empréstimos com garantia nos quais está explícita essa condição, como é o caso de financiamentos.

Seguindo a mesma linha de raciocínio, as dívidas no cheque especial ou no cartão não levam à penhora de bens. Dito isso, é interessante sempre negociar propostas que sejam vantajosas para você. Para isso, confira a dica a seguir.

Elabore uma proposta antes de negociar

Antes de comunicar à empresa credora que você quer fazer uma renegociação, o ideal é que você já tenha elaborado uma proposta. Nesse caso, coloque no papel todas as suas dívidas atualizadas com as taxas de juros e outros custos.

A partir daí, monte um plano de pagamento. Ele será extremamente útil para que você tenha uma ideia do que levar como contraproposta. Para que ele seja eficaz, é importante que você conheça bem o seu orçamento.

A ideia aqui é que, sabendo o quanto pode pagar, você possa definir valores para as parcelas da renegociação e consiga lidar com elas no médio prazo.

Tenha paciência

Se tudo correr bem, o credor lhe oferecerá algumas propostas. Caso elas não sejam ideais para você, não aceite. É provável que as parcelas disponíveis sejam até atrativas, mas no longo prazo a quantia fique maior do que o valor da primeira dívida. Isso pode acontecer por diferentes fatores, mas geralmente os juros são os culpados.

Uma coisa que deve ser ressaltada é que, apesar das instituições quererem resolver logo o problema, você precisa tomar cuidado. Em alguns casos vale a pena esperar mais um pouco para negociar a dívida e obter vantagens, como descontos maiores.

Nessa situação, a paciência e a análise serão suas aliadas para conseguir uma proposta que se encaixe no seu bolso.

Busque negociar pela internet

Apesar de ser pouco comentada, a negociação de dívidas pela internet gera algumas vantagens interessantes para o devedor. Existem muitos sites que oferecem boas possibilidades com uma infraestrutura bastante acessível.

Alguns têm opções de negociação, como parcelamento ou pagamento à vista. Em pouco tempo você consegue fechar a proposta e gerar um boleto para começar a quitar sua dívida. Além disso, são canais práticos, que evitam expor o interessado, e bastante seguros.

Gostou das nossas dicas para fazer a negociação de dívida? Está precisando resolver a sua situação com o credor e não sabe como? Que tal dar uma olhada na nossa plataforma e negociar já a sua dívida? Acesse já e saiba como!