5 dicas para fazer seu orçamento familiar

Muitas vezes, as contas fogem do controle familiar, e ao final do mês, falta dinheiro. Para evitar este tipo de surpresa desagradável, é importante organizar o orçamento familiar, contabilizando os gastos e recebimentos por mês.

Com estas 5 dicas para fazer seu orçamento familiar é possível organizar a vida e até mesmo começar a poupar para outros sonhos futuros e garantir sua liberdade financeira.

A Importância de um orçamento doméstico

O primeiro passo é colocar no papel todos os ganhos e gastos familiares. Depois, separe quais são os gastos essenciais ( que não podem ser eliminados, como aluguel, condomínio, escola, plano de saúde, luz, gás, alimentação etc) e quais são os supérfluos (telefone, lazer, automóveis, vestuário etc). É importante também listar suas dívidas atuais, juros aplicados e prazos do pagamento, tudo faz parte do orçamento familiar.

Racionalizar os gastos

De posse da lista de supérfluos, veja quais podem ser cortados e quais só podem ser reduzidas. Alguns hábitos podem ser adotados como levar uma lista de compras definida para o supermercado, opte por comprar em pequenas porções de acordo com sua necessidade, pesquise preços em diversos supermercados concorrentes, compare preços de serviços como telefonia e televisão a cabo e veja qual plano se adequa ao seu real uso. Busque formas alternativas de compra, como compras coletivas ou objetos de segunda mão.

Renegociar suas dívidas

Existindo dívidas, procure seus credores para renegociá-las. Mas primeiro, calcule quanto pode separar de seu orçamento para que não tenham no futuro surpresas desagradáveis como ter o nome sujo nos órgãos de proteção ao crédito e não ter mais acesso ao crédito. Aproveite eventos como feiras de renegociação para encontrar os credores e estabelecer um planejamento para quitar suas dívidas. Outra opção para conseguir melhores formas de pagamento das dívidas é usar as negociações online, onde você consegue contato com as empresas virtualmente para buscar a melhor forma de quitação da divida.

Cartão de crédito e cheque especial não são parte da renda

As maiores taxas de juros estão nos cartões de crédito e cheque especial. Estes meios de pagamento não devem ser vistos como parte da renda comum ou do orçamento familiar do consumidor e devem ser utilizados com cautela. Tente pagar a fatura completa, pois pagando o mínimo os juros só aumentam e podem chegar a um valor impossível de ser quitado. Guarde este trunfo no armário para momentos em que realmente a compra com cartão de crédito se mostre vantajosa. Se ainda assim você quiser ter um cartão, opte pelos que oferecem a menor anuidade (ou grátis) e melhores taxas de juros. Um cartão com este perfil que vem fazendo muito sucesso é o Nubank, um cartão que acompanha um aplicativo para celulares que orienta os gastos ao longo do mês, indica a melhor data para uso e controla os gastos.

Como poupar

Com as finanças estabilizadas, é hora de começar a poupar para realizar sonhos! Comece com pouco, digamos 10% de seu salário bruto, e coloque na poupança. Com um volume maior, é interessante ampliar as opções, investindo em previdência privada ou renda fixa. Você verá que com uma reserva permanente, fica mais fácil planejar futuras compras, sem se assustar com taxas de juros altas, como as praticadas no Brasil.

Não desanime! Coloque em prática as dicas acima e veja como depois de um tempo o resultado aparece, com um orçamento familiar mais enxuto! Com atenção e planejamento, é possível controlar os gastos e evitar problemas financeiros para sua família no médio prazo. Aproveite o espaço dos comentários abaixo para contar como você controla o seu orçamento em casa.

 

Gostou destas 5 dicas para fazer seu orçamento familiar? Então deixe seu comentário e conte-nos como você controla o seu orçamento em casa!