5 dicas de educação financeira para negativados

Desde o início da crise política e econômica que o Brasil está enfrentando, o número de pessoas com nome negativado aumentou consideravelmente. O desemprego, aliado à falta de educação financeira dos brasileiros, foi o principal causador do endividamento dos cidadãos.

Você tem contas em atraso? Quer quitar as dívidas e limpar seu nome? Quer organizar seus gastos pessoais para não ter o nome sujo novamente? Aprenda, neste post, 5 dicas de educação financeira para negativados .

1. Priorize as dívidas

As pessoas que se endividaram geralmente têm mais de uma dívida a ser quitada. Sendo assim, é importantíssimo que você defina quais débitos devem ser pagos prioritariamente. Procure escolher os que representam serviços essenciais para seu dia a dia e aqueles que apresentam os juros mais altos.

Ao priorizá-los, você vai conseguir se planejar para efetuar a quitação das dívidas e abre o precedente para negociar os débitos restantes, podendo limpar seu nome.

 

2. Faça controle financeiro

Ao organizar suas dívidas, definindo quais serão pagas e quais serão negociadas, você deve ter ações de controle financeiro. Saber exatamente onde você gasta seu dinheiro e o quanto você ganha é primordial para solucionar seu problema.

Para tanto, você deve anotar todas as suas despesas, sejam elas fixas (como suas contas) ou variáveis (como lanches e gastos diários), e verificar se o somatório delas está menor que seus ganhos. Caso dê negativo, você deve controlar seus gastos, de modo que passe a gastar menos do que recebe.

Assim sendo, você pode se planejar para pagar e negociar as dívidas que vêm tirando seu sono. Já existem no mercado mecanismos que podem te ajudar a controlar os gastos e organizar seu orçamento.

 

3. Negocie suas dívidas

Agora que você já sabe o que tem que pagar e o quanto pode pagar por mês, é interessante que você tente negociar seus débitos. Ao procurar as instituições, você se mostra interessado em quitar as dívidas e solucionar esse problema.

Além disso, receber uma cobrança por uma dívida não paga é uma situação um tanto quanto constrangedora. Quando você se antecipa e procura as empresas solicitando uma renegociação, você evita passar por essa situação embaraçosa.

 

4. Cuidado com o cartão de crédito

Um dos maiores vilões dos endividados é o cartão de crédito. Algumas pessoas acreditam que pagando a fatura mínima do cartão vão poder pagar outras contas e escapar do endividamento. Infelizmente, esse pensamento não é correto, uma vez que os cartões de crédito apresentam altos juros, tornando seu atraso uma bola de neve no quesito aumento de dívidas.

Procure pagar todas suas compras à vista, evitando ao máximo comprar no crédito e, assim, criar novas dívidas. Caso você não consiga viver sem o cartão, saiba utilizá-lo e opte por um cartão de crédito em que você consiga controlar seus gastos e definir limites. Por meio de aplicativos em dispositivos móveis, você consegue administrar suas despesas e gerenciar sua conta, de forma que você nunca perca o controle.

 

5. Invista em educação financeira

Cortar gastos, aprender a economizar e a poupar dinheiro são alguns benefícios da educação financeira, mas ela vai muito além. Você passa a ter o controle das suas finanças de modo a criar metas, podendo almejar objetivos maiores (como comprar um carro ou uma casa). Não se esqueça: é necessário muita disciplina!

Para pagar as dívidas, muitas pessoas buscam ter uma renda extra e fazer um empréstimo. A renda extra vai te ajudar a quitar seus compromissos. E após fazê-lo, você pode poupar esse dinheiro para usos futuros. Os empréstimos também podem te ajudar a quitar as contas — mas é fundamental que você preste atenção nas taxas de juros.

Agora que você já conhece algumas dicas financeiras para sair do vermelho, que tal aprender agora a investir e a ganhar dinheiro?